Umas das situações que mais me chamam atenção após um parto é aquela cena em que as pessoas ficam eufórica com o primeiro banho do bebê na maternidade assim que nascem como algo lindo. 

O que a grande maioria das pessoas não sabem é que os bebês nascem com uma substância esbranquiçada, parecendo um queijinho. Essa substância é o vérnix caseoso, trata-se de um manto que protege a pele do bebê dentro do útero contra infecções bacterianas que podem ser transmitidas pelo líquido amniótico. “O vérnix é produzido pelas glândulas cebaceas do bebê no 3º trimestre de gestação, sendo composto de 80% de água, 10% de lipídeos e 10% de proteínas”.

Nem todos os bebês nascem com grande quantidade dessa cobertura de vérnix caseoso, a exemplo os recém-nascidos prematuramente. A quantidade de vérnix também pode variar de bebê para bebê. Os bebês nascidos a termo podem nascer com maior quantidade, enquanto bebês nascidos após 40 semanas com menos. Em outras situações, o próprio líquido amniótico causa a diluição do vérnix dentro do útero. Essa camada protetora será importante no momento em que o bebê passar pelo canal vaginal da mãe durante o trabalho de parto. Além disso, vale lembrar que a temperatura do bebê era constante e controlada durante a sua estadia intrauterina, e o vérnix ajudará a estabilizar a temperatura do RN depois do parto.

Após o nascimento, é muito comum em algumas maternidades e hospitais a típica cena das enfermeiras dando banho em bebês logo após o nascimento, e do lado de fora uma plateia de expectadores, composta por familiares e amigos assistindo e fotografando a cena. No entanto, a Organização Mundial da Saúde- OMS recomenda que o primeiro banho do recém-nascido seja dado após 24 horas do seu nascimento. Afinal, estudos científicos comprovam que é necessário esperar que a pele do bebê absorva o vernix caseoso, pois esta substância protege a sua pele, diminuindo os riscos de dermatites, infecções de pele e alergias que passa a estar exposto.

Portanto, se faz necessário aguardar as primeiras 24 horas para o primeiro banho do recém-nascido, e ao respeitarmos este espaço de tempo estaremos não somente respeitando o processo de transição do bebê que vivia dentro do útero e agora se adapta ao o mundo exterior, mas garantindo que esta transição aconteça da forma mais gentil.

Autoria: Eliene Ueji- Mãe e Doula

Categorias:

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Abrir Whatsapp
Necessita de Ajuda?
Olá!
Podemos ajudar-te?